10 08 2020 mundo doadores internacionaisDoadores internacionais prometeram um total de 252,7 milhões de euros (US$ 298 milhões) em ajuda emergencial durante a videoconferência com líderes globais para apoio a Beirute. A presidência francesa, que co-organizou o evento, disse que o montante inclui 30 milhões de euros da França.

Os doadores prometeram fornecer ajuda de emergência - com foco em saúde, educação, alimentação e habitação. Explosão na região portuária de Beirute matou mais de 150 pessoas e espalhou destruição por quilômetros na última terça-feira (4).

O presidente da França, Emmanuel Macron, que foi o primeiro líder estrangeiro a visitar o Líbano após a explosão devastadora em Beirute, co-organizou a conferência com a Organização das Nações Unidas neste domingo. Líderes internacionais, funcionários do governo e organizações internacionais, participaram, incluindo o presidente dos EUA, Donald Trump, e o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro.

A chefe do Fundo Monetário Internacional, Kristalina Georgieva, disse querer uma auditoria do banco nacional antes de entregar qualquer dinheiro e defendeu reformas no país. "As gerações atuais e futuras de libaneses não devem ser sobrecarregadas com mais dívidas do que elas podem pagar", disse Georgieva, durante a conferência. "O compromisso com essas reformas vai desbloquear bilhões de dólares para o benefício do povo libanês."

No curto prazo, a ajuda que chega ao Líbano é puramente para fins humanitários

emergenciais e relativamente fácil de monitorar. EUA, França, Reino Unido, Canadá e Austrália, entre outros, deixaram claro que os recursos vão diretamente para grupos de ajuda local de confiança, como a Cruz Vermelha Libanesa ou agências das Nações Unidas. "Nossa ajuda absolutamente não está indo para o governo. Nossa ajuda vai para o povo do Líbano", disse John Barsa, da USAID.

Mas a reconstrução requer importações maciças de suprimentos e equipamentos. Contratos e subcontratos deram à elite governante do Líbano sua riqueza, enquanto deixaram o país com estradas em ruínas, eletricidade com cortes regulares, lixo que se amontoa nas ruas e abastecimento de água intermitente. O Líbano tem uma dívida acumulada de cerca de US$ 100 bilhões, para uma população de pouco menos de 7 milhões de pessoas - 5 milhões de libaneses e 2 milhões de sírios e palestinos, a maioria refugiados.

Com informações da Associated Press


18 09 2020 regiao crz numero corona

18 09 2020 regiao crz corona faixa etaria

an paulo bento

an luiz octavio

cartilha detran servicos digitais final at Página 01