07 04 2021 esportes assembleia nome maracanaVinte e oito dias após aprovar, em votação simbólica, o "novo batismo" do estádio do Maracanã, na zona norte do Rio de Janeiro, a Assembleia Legislativa (Alerj) desistiu da proposta.

Aprovada e enviada para sanção ao governador interino Cláudio Castro (PSC), a proposição determina a troca do nome oficial, de Jornalista Mário Filho para Edson Arantes do Nascimento - Rei Pelé.

Foi muito criticada por entidades e personalidades do esporte e da cidade. O presidente da Casa, André Ceciliano (PT), autor do projeto com outros seis parlamentares, anunciou o recuo nesta terça-feira. E disse que vai enviar a Castro proposta de veto ao projeto de lei aprovado por iniciativa sua.

Ceciliano propôs a troca com o objetivo de atrair turistas e homenagear Pelé, que marcou seu milésimo gol durante partida no Maracanã, em 1969. Segundo o projeto, o estádio passaria a se chamar Rei Pelé, e o complexo esportivo, que inclui também o ginásio do Maracanãzinho, o Parque Aquático Júlio Delamare e o estádio de atletismo Célio de Barros, teria o nome de Mário Filho, originalmente atribuído ao estádio principal.

Os deputados Bebeto (Pode), Carlos Minc (PSB), Marcio Pacheco (PSC), Eurico Junior (PV), Coronel Salema (PSD) e Alexandre Knoploch (PSL) assinaram como coautores. Em 9 de março o projeto foi aprovado. Apenas a bancada do PSOL votou contra.

O projeto, então, foi encaminhado ao governador, que poderia sancioná-lo ou vetá-lo. Nesse caso, o texto voltaria à Alerj, que tem poder de derrubar o veto. Começou então uma intensa campanha contra a mudança. Argumentou-se que a troca apagaria da história o nome de Mário Filho, jornalista esportivo pioneiro e escritor que entre 1944 e 1948 liderou uma campanha para que o estádio fosse construído na Tijuca, à margem do rio Maracanã, com capacidade para 100 mil pessoas. O espaço era ocupado pelo Derby Club, destinado a corridas de cavalo.

MÁRIO FILHO X CARLOS LACERDA - Na época, o futuro governador da Guanabara Carlos Lacerda queria que o estádio fosse construído em Jacarepaguá, na zona oeste. Defendia ainda que tivesse capacidade menor (60 mil lugares) em razão dos custos. A proposição defendida por Mário Filho prevaleceu, o estádio começou a ser construído em 10 de agosto de 1948 e foi inaugurado a tempo de sediar partidas da Copa do Mundo de 1950, inclusive a final, em que o Brasil foi derrotado pelo Uruguai.

Em 1966 Mário Filho morreu. A Assembleia Legislativa do então Estado da Guanabara decidiu que seu nome passaria a ser atribuído ao estádio.

Diante da reação contrária, o governador já cogitava vetar o texto. Agora, com a proposta de veto apresentada pelo deputado que foi seu autor e defensor, a mudança será oficialmente descartada.


08 04 2021 regiao crz numero corona08 04 2021 regiao crz corona faixa etaria

villa tita

an paulo bento

an luiz octavio

cartilha detran servicos digitais final at Página 01