22 02 2021 esportes despedida cuca empataFalta apenas um jogo para o Santos fechar sua campanha no Brasileirão.

Mas o técnico Cuca encerrou sua terceira passagem pelo clube no domingo (21/02). Ele queria sair vitorioso na última apresentação do time sob seu comando, na Vila Belmiro, já que não o dirigirá em Salvador, contra o Bahia. Mas a equipe jogou mal, bem abaixo do esperado, e só conseguiu buscar o empate no fim, contra o Fluminense, por 1 a 1.

Depois do vice-campeonato da Libertadores, Cuca alegou desgaste no Santos e optou por sair. Também enfrenta problemas de saúde na família. Deve passar o bastão para o argentino Ariel Holan, que estava na Universidad Católica e fez sucesso no Independiente.

Já sem Cuca na quinta-feira, o Santos visitará o Bahia e tentará fechar o Brasileirão com seis jogos de invencibilidade, após ganhar duas e empatar três nas últimas rodadas. Depois de cair diante do Palmeiras na Libertadores, o time somou pontos em todos os jogos.

Cuca decidiu antecipar sua despedida para esse domingo e deu adeus em um jogo sem brilho, no qual reclamou da arbitragem e até discutiu com a comissão técnica do rival. No fim, festejou a saída sem derrota.

Um alívio, pois sofreu bem mais que o esperado diante de um Fluminense bem postado e que dominou a partida em grande parte dos 90 minutos e merecia a vitória. O placar foi movimentado na Vila Belmiro na primeira finalização. Marcos Felipe deu um chutão para o ataque e Fred ganhou a disputa. Luiz Henrique recebeu e serviu Lucca, que bateu no canto de João Paulo.

A subida de Fred com o defensor santista provocou uma enorme reclamação de Cuca e de todo o banco de reservas. O treinador questionou o árbitro se a bola não tocou no braço do centroavante. O VAR confirmou o gol, mas a bronca seguiu por um bom tempo.

Necessitando da vitória, o Santos não conseguia se encontrar em campo seu o venezuelano Soteldo. O meia-atacante estava no banco de reservas. Fred, exigiu uma bela defesa de João Paulo. O goleiro salvou o que seria o segundo gol dos cariocas.

Marinho estava apagado em campo e, estranhamente, nem nas cobranças de faltas estava se colocando à disposição. O Santos teve duas oportunidades nas jogadas de bola parada próximas da entrada da área e Felipe Jonatan foi quem cobrou, ambas, sem perigo.

Repetindo o que deu certo diante do Corinthians, Cuca voltou do intervalo com Soteldo. Madson também entrou. O baixinho tinha uma proteção na coxa direita, a mesma que o fez atuar por apenas 17 minutos no clássico. Na oportunidade, ele colaborou na jogada do gol da vitória antes de sair. Repetiria o feito?

A missão era mais complicada pois o placar era contrário e apenas uma vitória interessava. Sem contar o momento muito melhor e a confiança em alta do Fluminense. Adversidades que exigiam superação dos santistas.

Em uma partida bastante disputada e com jogadores por ora confundindo vontade com entradas duras, sobrava disposição e imposição física, mas carecia técnica e chances. Ninguém conseguia colocar os goleiros para trabalhar ou mesmo conseguia esquentar o jogo.

Somente aos 32 minutos da etapa final, o Santos conseguiu criar um lance de perigo. Felipe Jonatan chutou de fora da área e Marcos Felipe mandou para escanteio. Após a cobrança, Luan Peres cabeceou pelo alto.

A vida do Fluminense era tranquila até o zagueiro Nino fazer enorme besteira. Já na reta final da partida, recebeu amarelo por uma falta em Bruno Marques e não aceitou. Ofendeu o árbitro e levou vermelho.

Na cobrança da falta, Jean Mota empatou em seu primeiro toque na bola. Mesmo sem merecer, o Santos buscou um precioso ponto na Vila Belmiro. Um empate que custou o G4 aos cariocas e sem muito para o Santos comemorar no adeus de Cuca.

FICHA TÉCNICA

SANTOS 1 x 1 FLUMINENSE

SANTOS - João Paulo; Pará, Luiz Felipe (Madson, depois Bruno Marques), Luan Peres, Felipe Jonatan; Alisson, Vitor Balieiro (Jean Mota) e Sandry; Marcos Leonardo (Soteldo), Marinho e Lucas Braga (Angelo). Técnico: Cuca.

FLUMINENSE - Marcos Felipe; Calegari, Nino Luccas Claro e Egídio; Martinelli (Hudson), Yago Felipe e Nenê (André); Luiz Henrique (Michel Araújo), Lucca (Yuri) e Fred (John Kennedy). Técnico: Marcão.

GOLS - Lucca, aos 16 minutos do primeiro tempo; Jean Mota, aos 43 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Luiz Felipe, Jean Mota e Bruno Marques (Santos); Nino, Yago Felipe, Fred e Egídio (Fluminense).

CARTÃO VERMELHO - Nino (Fluminense).

ÁRBITRO - Sávio Pereira Sampaio (MG).

LOCAL - Vila Belmiro, em Santos (SP).


27 02 2021 regiao crz numero corona27 02 2021 regiao crz corona faixa etaria

villa tita

an paulo bento

an luiz octavio

cartilha detran servicos digitais final at Página 01