07 04 2021 regiao tt stj nega joffre netoO STJ (Superior Tribunal de Justiça) negou seguimento a um recurso do ex-vereador Joffre Neto, de Taubaté, e manteve a condenação dele por improbidade administrativa.

Na decisão, o presidente do STJ, ministro Humberto Martins, afirmou que o recurso do ex-parlamentar foi protocolado fora do prazo de 15 dias úteis – embora tenha sido intimado no dia 8 de outubro de 2019 sobre a decisão do Tribunal de Justiça, protocolou a apelação apenas no dia 30 daquele mês.

A defesa do ex-vereador informou que irá recorrer da decisão. “O STJ, para exercer sua função plena e satisfatoriamente, faz uso de tecnologia de informação e o programa lê recursos e assim faz o juízo de admissibilidade e análise de tempestividade, mas não consegue considerar prazos locais. O recurso do Joffre foi apresentado dentro do prazo. Outro recurso será apresentado pela defesa para demonstrar a tempestividade do recurso especial”, afirmou o advogado Guilherme Vianna. “É mera questão formal, sem juízo do mérito, em que sou absolutamente inocente”, disse Joffre.

Processo

Na ação, o Ministério Público contestou a contratação do ex-parlamentar pela Câmara de Taubaté em 2009, sem licitação, para a prestação de serviços de assessoria. Joffre receberia R$ 7.900 para auxiliar na análise de projetos orçamentários.

Em 2016, Joffre e Carlos Peixoto, que presidia a Câmara em 2009, foram condenados pela Justiça de Taubaté. Como Peixoto morreu em abril de 2017, a ação foi extinta com relação a ele.

Joffre recorreu ao TJ, mas em maio de 2019, em decisão unânime, a 6ª Câmara de Direito Público rejeitou a apelação. Os desembargadores também rejeitaram o recurso do MP, que pedia o aumento da pena, incluindo também perda de eventual função pública. Ficou mantida a suspensão de direitos políticos por três anos e a multa de cinco salários mínimos.


08 04 2021 regiao crz numero corona08 04 2021 regiao crz corona faixa etaria

villa tita

an paulo bento

an luiz octavio

cartilha detran servicos digitais final at Página 01