20 01 2020 brasil placas mercosulA partir do dia 31 de janeiro, o novo padrão para emplacamentos de veículos passa a ser obrigatório em todo o Brasil. O prazo foi estabelecido pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran), em julho do ano passado, após adiamentos.

Nove unidades federativas já aderiram à nova Placa de Identificação Veicular (PIV): Amazonas, Bahia, Paraíba, Piauí, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e Rondônia.

Nova placa

Ela será exigida para veículos novos, com primeiro emplacamento, para casos em que haja mudança de município ou estado e quando houver necessidade de substituição de qualquer uma das placas por causa de mudança de categoria do veículo, furto, extravio, roubo ou dano da mesma.

Caso a nova placa não caiba no espaço do veículo destinado a ela, a resolução estabelece ainda que o Denatran (Departamento Nacional de Trânsito) poderá autorizar a redução de até 15% no tamanho, preservando as posições onde estão estampados o QR Code e distintivo BR.

O novo padrão é composto por quatro letras e três números, o inverso do modelo antigo e que ainda é adotado em alguns estados brasileiros, com três letras e quatro números. A cor de fundo também muda e passará a ser totalmente branca. A mudança na cor ocorrerá na fonte para diferenciar o tipo de veículo, sendo preta para veículos de passeio, vermelha para veículos comerciais, azul para carros oficiais, verde para veículos em teste, dourado para os automóveis diplomáticos e prateado para os veículos de colecionadores.

Tire dúvidas

Por que criar uma nova placa?

A implantação da nova placa foi estabelecida, de forma obrigatória, pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), e visa padronizar as placas dos veículos de países que compõem o Mercosul para otimizar a segurança nas vias das fronteiras. A nova placa permite ainda que os agentes de trânsito brasileiros punam os condutores de outros países, que cometiam infrações e não sofriam as penalidades por conta da falta de registro no Brasil. Além disso, outro motivo para a necessidade da implantação do novo modelo da placa é que a combinação alfanumérica em uso anteriormente já estava no final.

Quais as vantagens da nova placa?

Um dos principais benefícios oferecidos pela nova placa é a segurança. Ela possui gravação a laser, efeitos visuais, número de série criptografado e um QR Code. Esse último item tem o objetivo de dificultar a clonagem de veículos.

Todos os carros têm que trocar suas placas?

A troca é obrigatória para os veículos de primeiro emplacamento, procedimentos de transferência de propriedade e mudança de município ou estado, alteração de categoria, troca de placas danificadas e na reposição de placas perdidas.

Se a placa atual do veículo, a cinza, for perdida na chuva, por exemplo, precisará ser trocada pela Placa Mercosul?

Sim. Não há mais fabricantes de placas cinzas credenciados ao Detran. Além disso, o Órgão não faz mais uso de lacres em suas placas. Portanto, veículos que estejam com placas danificadas, perdidas ou com lacres rompidos deverão procurar o Detran para realizar a troca da placa.

Como solicitar a nova placa?

Para realizar o serviço com a mudança da placa, o proprietário do veículo deve se dirigir à unidade do Detran e abrir um processo para a o serviço que deseja realizar. O Detran faz a auditoria da documentação e registra no sistema da Base Nacional e, paralelamente, o interessado deverá pagar as taxas referentes ao serviço do Órgão. Após o pagamento, será enviado ao interessado um SMS com o código autorizador do emplacamento.

O cidadão deverá escolher a empresa estampadora para que ela confeccione e instale a placa. Concluído o serviço, a estampadora comunica ao Detran e o interessado deverá retirar seu novo documento do veículo na unidade do órgão. Se o proprietário do veículo optar por contratar um despachante credenciado ao Detran, todos os passos serão executados por esse profissional que, ao final do processo, solicitará a afixação da placa por uma estampadora.

Como é a nova placa?

A nova placa tem o fundo branco e uma faixa azul na parte superior, onde estão dispostos o símbolo do Mercosul e a bandeira do Brasil. Além disso, possui quatro letras e três números. O veículo que já possui a placa cinza e precisa fazer a mudança para a de padrão Mercosul obedecerá ao seguinte padrão: as três primeiras letras se mantêm, o primeiro, terceiro e quarto número também, já o segundo número será trocado por uma letra entre A e J, correspondente aos números de 0 a 9, conforme disposto abaixo.

0 = A, 1 = B, 2 = C, 3 = D, 4 = E, 5 = F, 6 = G, 7 = H, 8 = I e 9 = J

Então, um veículo que tenha a placa antiga ABC-1234, no padrão Mercosul, ficará da seguinte forma ABC-1C34. O Detran|ES explica que os primeiros emplacamentos de veículos continuarão recebendo com a sequência que vinha sendo distribuída anteriormente, de QRB até QRM.

Qual o tamanho da nova placa?

A nova placa tem as mesmas dimensões da antiga: 40 cm de largura por 13 cm de altura. Ainda assim, o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) autorizou uma redução de até 15% no tamanho da placa, se ela não couber no receptáculo do veículo, desde que o QR Code e a bandeira do Brasil sejam preservados.

Qual é o preço da nova placa?

O valor da placa no padrão Mercosul não é tabelado pelo Detran. O cidadão deverá buscar as empresas estampadoras de placas e fazer a consulta do valor. 

Com informações do R7

'O objetivo é confirmar o nosso potencial', diz presidente do COB

Faltando pouco mais de seis meses para os Jogos de Tóquio, o Comitê Olímpico do Brasil (COB) já utiliza suas instalações que servirão para aclimatação da delegação nacional. Desde 2014 a entidade faz visitas rotineiras ao Japão e nesta entrevista exclusiva o presidente do COB, Paulo Wanderley, conta detalhes do planejamento, que contará com nove sedes espalhadas pelo Japão.

Como surgiu a ideia de ter nove sedes diferentes?

Pelas características locais, não havia disponibilidade de uma instalação única que atendesse integralmente ao nosso planejamento, como tivemos em 2008, 2012 e 2016. Existem universidades muito boas no Japão, mas algumas estavam com um custo alto ou apresentavam impedimentos de datas. Existe um grande Centro de Treinamento em Tóquio e vários outros pequenos centros específicos, por modalidade, que obviamente já estavam com a equipe japonesa. E existem vários espaços educacionais e esportivos ao redor do país, que foram indicados e apresentados ao Brasil pelo Comitê Olímpico Japonês (COJ), em conjunto com as prefeituras responsáveis. Essas são as opções que o Time Brasil está usufruindo desde 2018.

Como foi a negociação por esses espaços?

Realizamos uma negociação interessante para o Brasil para que a utilização desses espaços não gerasse custos financeiros ao COB. Existe um acordo para que, em troca da utilização desses espaços, realizemos ações sociais de promoção do esporte, dos valores olímpicos e de integração com a comunidade e as escolas locais. Essa iniciativa se mostrou muito positiva para o COB, para as equipes, para os atletas brasileiros e para as prefeituras locais.

Quanto custará a operação para os Jogos de Tóquio?

O projeto ainda está em andamento. O custo final da operação será divulgado ao final dos Jogos. Temos contato direto com Comitês Olímpicos de outros países, como Austrália, Canadá e EUA, e acompanhamos os custos relacionados às suas equipes a fim de comparar com nossas ações e estimativas. Ao longo dos últimos dois anos fizemos também uma reserva financeira para cobrir essa missão, pois alta do dólar naturalmente eleva o custo final.

Esse investimento pode se reverter na melhor campanha?

Não podemos garantir que teremos o melhor resultado da história. Podemos garantir que estamos trabalhando muito para alcançar resultados condizentes com o potencial do país no mundo olímpico, similares aos resultados que o Brasil obteve nos Mundiais realizados nesse último ciclo olímpico. Nossos objetivos são confirmar nosso potencial e termos surpresas mais positivas do que negativas.


25 10 2020 regiao crz numero corona25 10 2020 regiao crz corona faixa etaria

an paulo bento

an luiz octavio

cartilha detran servicos digitais final at Página 01