20 06 2019 brasil docenteOs professores brasileiros perdem mais tempo com atividades não relacionadas ao ensino e lidam mais com o bullying entre os alunos do que a média internacional.

Os dados são da Pesquisa Internacional sobre Ensino e Aprendizagem (Talis, na sigla em inglês), feita pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), com 250 mil professores e diretores de escolas.

Em média, os professores no Brasil passam apenas 67% do tempo em atividades ligadas ao processo de aprendizado. O restante é dedicado a tarefas administrativas, como a chamada de presença, ou disciplinares, como manter a ordem entre os alunos. O relatório destaca o efeito cumulativo desse desperdício de tempo no aprendizado do estudante.

O Brasil é o terceiro país com o pior aproveitamento de tempo em sala de aula, à frente apenas da África do Sul e Arábia Saudita. Na média, nos países que integram a OCDE, os professores aproveitam 78% do tempo de aula com as atividades de ensino.

Bullying

Além do pouco aproveitamento de tempo, 28% dos diretores escolares brasileiros relataram ter testemunhado situações de intimidação ou bullying entre alunos, o dobro da média da OCDE. Semanalmente, 10% das escolas brasileiras pesquisadas registram episódios de intimidação ou abuso verbal contra educadores com "potenciais consequências para o bem-estar, níveis de estresse e permanência deles na profissão", diz a pesquisa. A média internacional é de 3%.


13 04 2021 regiao crz vacinometro13 04 2021 regiao crz numero corona13 04 2021 regiao crz corona faixa etaria

villa tita

an paulo bento

an luiz octavio

cartilha detran servicos digitais final at Página 01