10 12 2020 brasil saude tira presos vacinaO Ministério da Saúde decidiu retirar a população privada de liberdade da lista de grupos prioritários para vacinação contra a covid-19, mas mantendo no grupo os agentes de segurança do sistema prisional.

A ideia foi apresentada pela pasta em reunião técnica com representantes de Estados e municípios.

A justificativa defendida por auxiliares do ministro Eduardo Pazuello é que esse público seria constituído principalmente por jovens.

Em esboço que preparou para um plano nacional de imunização, divulgado na semana passada, o Ministério da Saúde prevê começar a vacinar a população em março. Idosos com 75 anos ou mais, profissionais de saúde e indígenas serão os primeiros a receber as doses, segundo o que foi anunciado.

A população carcerária, de acordo com a previsão, passa a integrar a quarta fase do plano nacional, ao lado de professores, forças de segurança e salvamento e funcionários do sistema prisional. Ao todo, o ministério espera imunizar 109,5 milhões de pessoas ao longo de 2021, em duas doses.

Meio milhão

Em documento do ministério obtido, a Saúde estimava o total de presos que poderiam receber a vacina em cerca de 500 mil.

Em nota, o ministério afirma que o plano de imunização ainda pode passar por alterações. Especialistas admitem que faltam ainda estudos mais seguros sobre o tema. É preciso que se tenha "uma avaliação segura da taxa de transmissibilidade e de letalidade para que se justifique a priorização do grupo daqueles privados de liberdade", disse uma fonte do ministério.


04 03 2021 regiao crz vacinometro04 03 2021 regiao crz numero corona04 03 2021 regiao crz corona faixa etaria

villa tita

an paulo bento

an luiz octavio

cartilha detran servicos digitais final at Página 01