16 11 2020 brasil media movel covidO Brasil registrou 108.746 novos casos e 256 novas mortes por coronavírus nas últimas 24 horas. Até agora, foram confirmados 5.876.694 casos e 166.067 vidas perdidas desde o princípio da pandemia.

Já a média móvel de mortes, também verificada pelo boletim, foi de 490. É o quarto dia consecutivo que ela se mantem acima de 480, após semanas mais baixa.

A "média móvel de 7 dias" faz uma média entre o número de mortes do dia e dos seis anteriores. Ela é comparada com média de duas semanas atrás para indicar se há tendência de alta, estabilidade ou queda. O cálculo é um recurso estatístico para conseguir enxergar a tendência dos dados abafando o "ruído" causado pelos finais de semana, quando a notificação de mortes se reduz por escassez de funcionários em plantão.

O boletim do Ministério da Saúde desta segunda-feira informou que 216 novas mortes causadas por Covid-19 nas últimas 24h, totalizando 166.014 óbitos. Foram notificados 13.371 novos casos de coronavírus, elevando para 5.876.464 o número de infectados no país. 

Aumento das internações

O governo de São Paulo confirmou, nesta segunda-feira (16/11), um aumento de 18% nas internações por Covid-19 em todo o estado, em hospitais públicos e privados. Na semana passada, uma reportagem já havia demonstrado a preocupação de especialistas em relação ao salto de casos suspeitos da doença e sobre uma provável segunda onda em SP.

Na 46ª semana epidemiológica (semana passada), eram 859 pessoas internadas. Na 47ª (semana em curso), o número de hospitalizados em todo o estado passou para 1.009. O aumento das internações e o "apagão" de dados do coronavírus em função de uma pane no sistema do Ministério da Saúde fizeram com que o governo paulista adiasse a reclassificação do estado no Plano São Paulo.

Em outubro, 76% do estado deixou a fase amarela e avançou para a verde, o que permitiu mais medidas de flexibilização. Nesta segunda, explicou o governo, a fase verde poderia atingir até 90% do estado, mas a decisão é de adiar avaliação para 30 de novembro.

Uma segunda onda não é descartada pelos pesquisadores brasileiros. E uma eventual vacinação vai demorar acontecer.

A farmacêutica americana Moderna anunciou que sua vacina contra o coronavírus é 94,5% eficaz. A informação, uma notícia positiva na corrida pelo imunizante contra a Covid-19, foi dada após uma análise inicial dos resultados do estudo, que segue na Fase 3, a final. 

Os pesquisadores informaram ainda que os resultados foram melhores do que eles 'ousavam imaginar', mas que a vacina provavelmente não estará disponível em larga escala antes de março. 

A Moderna é a segunda empresa ocidental a relatar dados preliminares sobre uma vacina aparentemente bem-sucedida, oferecendo esperança em uma pandemia que infectou mais de 53 milhões de pessoas em todo o mundo e matou mais de 1,2 milhão. A Pfizer, em colaboração com a BioNTech, foi a primeira, relatando na semana passada que sua vacina era mais de 90% eficaz. 


26 11 2020 regiao crz numero corona

an paulo bento

an luiz octavio

cartilha detran servicos digitais final at Página 01