17 10 2020 brasil ministro privatizacoesO ministro da Economia, Paulo Guedes, rebateu na sexta-feira, 16/10, críticas sobre as respostas do governo à pandemia e reafirmou o compromisso com a agenda de reformas e privatizações.

Ele reconheceu que as privatizações não avançam na velocidade prometida, mas atribuiu a demora ao tempo mais vagaroso da política e à paralisação causada pelo coronavírus.

"Nós precisamos de quatro privatizações", afirmou Guedes, citando Correios, Eletrobras, PPSA e Porto de Santos. "Disse que em 90 dias anunciaríamos quatro grandes privatizações. Isso não aconteceu. O que aconteceu? Política", explicou Guedes ao participar de live promovida pela XP.

Ele afirmou diversas vezes durante o evento que o governo tem um plano, inclusive na fase mais aguda da pandemia, quando a equipe econômica recebeu críticas porque não estaria preparada para enfrentar a crise.

"Nós tínhamos um plano e seguimos o plano no meio da pandemia", frisou Guedes, que aproveitou a live para listar as medidas emergenciais lançadas desde a chegada do coronavírus, destacando entre as principais o auxílio emergencial e o programa de preservação de empregos.

O ministro voltou a dizer que agora a agenda de reformas foi retomada, mas ponderou que o tempo de aprovação delas depende da política. "O tempo das reformas depende da política, mas temos que estar sempre propondo", afirmou Guedes, exaltando também em sua fala o apoio à agenda dado pelo Congresso. "O Congresso ajudou muito."


20 10 2020 regiao crz numero corona20 10 2020 regiao crz corona faixa etaria

an paulo bento

an luiz octavio

cartilha detran servicos digitais final at Página 01