11 10 2020 brasil pgr marco aurelio incoerenteA Procuradoria-Geral da República (PGR) alertou o ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal, que é "incoerente sob todas as óticas" a decisão que autorizou viagem para Portugal ao ex-policial Paulo Roberto de Carvalho Moreira da Silva, condenado por corrupção e formação de quadrilha.

Moreira foi alvo da Operação Furacão, deflagrada pela Polícia Federal em 2007 para combater esquema de compra de sentenças e pagamentos de propina que favoreciam casas de bingo no Rio de Janeiro e a máfia dos caça-níqueis.

Na última terça-feira, 06/10, Marco Aurélio concedeu autorização para o ex-policial viajar para Portugal por um mês e onze dias. Foi a segunda saída para o exterior autorizada pelo ministro, sendo a primeira em setembro do ano passado.

Para a Procuradoria, a medida "não se afigura razoável", pois Moreira foi condenado "por ilícitos de extrema gravidade e cuja permanência em liberdade sujeita-se a condições somente mitigáveis em situações excepcionalíssimas", entre as quais, evidentemente, não se insere a realização de viagem a passeio ou lazer".

"A propósito, considerando-se as inúmeras disparidades sociais enfrentadas cotidianamente no País, o deferimento de medidas de tal natureza (viagem a passeio) a réus condenados, detentores de poder aquisitivo inquestionável, contribui para o desprestígio da Justiça, a quem cabe zelar pela paridade de tratamento entre réus, acusados e investigados, vedando qualquer tipo de tratamento discriminatório entre eles", afirmou a subprocuradora Cláudia Sampaio Marques.

A subprocuradora pediu ao ministro que determine a restituição do passaporte do ex-policial à Justiça após a viagem, alegando que tal medida não viola a liberdade de locomoção de Moreira.


25 10 2020 regiao crz numero corona25 10 2020 regiao crz corona faixa etaria

an paulo bento

an luiz octavio

cartilha detran servicos digitais final at Página 01