16 01 2019 brasil doria delegacia muherO governador de São Paulo, João Doria (PSDB), justificou nesta terça-feira (15) o seu veto ao projeto de lei que tornava obrigatório o funcionamento 24 horas das Delegacias da Mulher no estado. A proposta foi aprovada no fim do ano passado pela Assembleia Legislativa (Alesp), mas foi vetada integralmente pelo tucano na semana passada.

De acordo com João Doria, sua medida não configura quebra de promessa da campanha eleitoral, quando ele prometeu justamente ampliar o horário de funcionamento da Delegacia da Mulher. O governador explicou que a medida será "ajustada e ampliada" e atacou a autora do projeto que acabou vetado, a deputada Beth Sahão (PT).

"O projeto dessa deputada petista não levava em conta o orçamento. Nós não vamos ser subjulgados por um projeto que é inadequado. Cabe ao Executivo a determinação do funcionamento de delegacias. Não cabe ao Legislativo. Foi acertadamente vetado", disse o tucano.

"Foi uma iniciativa equivocada de uma deputada do PT com a intenção de ganhar brilho e ganhar a penetração junto às mulheres de maneira inadequada. O nosso compromisso é que as Delegacias da Mulher tenham mulheres atendendo. Já orientamos a Secretaria da Segurança Pública para implementar os programas de contratação para termos delegadas mulheres e escrivãs mulheres. Mas de maneira responsável, não de forma política", complementou.

Ao site de notícias do PT, a autora do projeto vetado por Doria disse que vai lutar contra a medida do governador, acusado pela deputada de "faltar com a palavra empenhada durante a campanha". "Ele prometeu, por diversas ocasiões, que colocaria as delegacias da mulher para funcionar 24 horas por dia e também nos feriados e fins de semana. Não vejo justificativa plausível para recusar esse projeto, que contempla justamente aquilo que ele prometeu durante a campanha”, lamentou Sahão.

As declarações de Doria sobre o projeto foram feitas após a inauguração de um restaurante do Bom Prato em São Bernardo do Campo (SP) – que deve atender 44 mil pessoas por dia.

O tucano também aproveitou o evento para, mais uma vez, atacar o Partido dos Trabalhadores, criado no município do ABC Paulista em 1980. "A medida [a inauguração do restaurante] é simbólica. Na terra onde nasceu o petismo, com o Lula, agora nós temos um governo liberal que trabalha pelo povo, trabalha com o povo e em sintonia com a população", disse o governador, exaltando também o prefeito, Orlando Morando (PSDB).

"Aqui não tem mais espaço para fazer populismo, para fazer assistencialismo e nem propostas que atendem o interesse de poucos em detrimento de muitos. Agora, este é um espaço livre", finalizou João Doria.


an paulo bento

an luiz octavio