an luiz octavio        an pref crz jan 2020

07 02 2020 policia sjc dupla trafico fernao diasDois homens, procurados por atuar no tráfico de drogas e lavagem de dinheiro em São José dos Campos e Caçapava (SP), foram presos na noite de quarta-feira (06/02) na rodovia Fernão Dias. Eles foram flagrados com documentos falsos em uma blitz feita pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) no pedágio de Vargem (SP).

Segundo a PRF, Augusto de Souza Alba, 40 anos, e Ari Machado Factor, 37 anos, foram autuados por uso de documento falso e encaminhados à Polícia Civil, onde permanecem presos.

A dupla era procurada pela justiça desde 2017, quando foi expedido um mandado de prisão a partir de uma investigação sobre o tráfico de drogas na zona sul de São José.

Na manhã de quinta-feira (06/07) os dois permaneciam presos na delegacia de Vargem e aguardavam a audiência de custódia, prevista para a tarde.

O que diz a defesa da dupla

A reportagem procurou a defesa de Augusto de Souza Alba e Ari Machado Factor que informou que os dois são inocentes das acusações e usavam documentos falsos por serem procurados pela justiça.

Associação ao tráfico

A dupla era procurada pelo crime de associação ao tráfico de drogas. A investigação apontou que Augusto de Souza Alba e Ari Machado Factor eram sócios e forneciam maconha, pasta base de cocaína e crack para traficantes. A droga era refinada em uma chácara na zona rural de Caçapava.

Além da produção de entorpecentes, de acordo com o Ministério Público, como sócios eles ainda mantinham empresas de fachada para fazer a lavagem de dinheiro do tráfico. Segundo a promotoria, em uma das interceptações feitas durante a investigação, um dos agentes do tráfico enviou R$ 3,3 milhões a Augusto.

Entre os negócios abertos pela dupla constavam empresas do setor de construção, fachada usada para a compra de caminhões com os quais transportavam os entorpecentes. O MP apurou que todas as empresas não tinham funcionários.

Em 2017 quando a investigação apontou a articulação do tráfico na cidade os dois foram denunciados à Justiça junto ao cabeça do esquema, morto em uma troca de tiros com a Polícia Militar em março de 2017.


an pao quente 01

an byomed