31 07 2019 regiao s sebastiao uniao litoralA empresa de ônibus União do Litoral foi condenada a indenizar em R$ 50 mil, por dano moral, o pai de um jovem que morreu vítima do acidente com um ônibus de estudantes na Mogi-Bertioga. O capotamento, que deixou 18 mortos, foi em junho de 2016. Cabe recurso.

A sentença publicada na segunda-feira (29/07), assinada pelo juiz André Gonçalves Santos, é em primeira instância. O processo foi movido por Juarez Santos Damásio, pai do jovem Daniel Oliveira Damásio, que morreu aos 25 anos. O rapaz cursava sistema da informação em uma faculdade em Mogi das Cruzes e morava no litoral norte.

Além dessa decisão, a viação já foi condenada, ao menos outras 16 vezes, em ações movidas por familiares das vítimas e por sobreviventes - todas estão em tramitação, em fase de recurso. Além disso, três acordos extrajudiciais foram feitos, segundo a empresa. (leia abaixo)

Na ação sobre a morte de Daniel, o juiz considerou na sentença que cabia à empresa resguardar a integridade física dos passageiros durante a prestação do serviço de transporte, com obrigação de conduzir os passageiros sãos e salvos ao destino. "Não houve qualquer demonstração de culpa exclusiva da vítima ou caso fortuito que pudesse afastar a responsabilização do transportador", disse o magistrado em trecho da decisão.

O pedido inicial de indenização era de R$ 400 mil e a União do Litoral ponderou em sua defesa que, embora se solidarize ao pai, conclui que o fato da vítima estar sem cinto de segurança agravou o risco. Frisou também que o motorista, que também morreu, era bom profissional e a manutenção do ônibus estava em dia.

O escritório de advocacia que representa o pai de Daniel informou que prefere não se pronunciar sobre a decisão neste momento.  

No acidente morreram 18 pessoas, sendo 17 universitários e o motorista. Quarenta e seis passageiros estavam a bordo quando o veículo capotou. Antes, o coletivo bateu em um rochedo às margens da pista.

Outro lado

A União do Litoral afirmou em nota que efetuando acordos extrajudiciais, sendo que somente no último bimestre, fez três acordos para pôr fim às demandas das vítimas. Sobre a decisão sobre a morte de Daniel, a viação não informou se vai recorrer,

"A empresa, por meio do escritório Martinho & Alves Advogados, tem procurado os advogados e representantes das vítimas para efetuar composição amigável das indenizações", disse trecho da nota.

A União do Litoral disse também que mantém uma política de transparência, e quando solicitada, sempre vai se manifestar com discrição e respeito sobre o assunto.

Condenações

A União do Litoral já foi condenada, a partir de 2018, ao menos outras 16 vezes, em ações movidas por vítimas ou seus familiares. Há ações com pedido de indenização de até R$ 1,7 milhão.

As primeiras decisões impõem indenizações que chegam a R$ 325 mil. Em parcela delas, a empresa também foi obrigada a pagar mensalmente de até dois salários mínimos à família das vítimas - algumas por período determinado e, outras, até os prováveis 65 anos que elas viveriam, em um cálculo considerado pela Justiça.


14 08 2020 regiao crz numero corona

an paulo bento

an luiz octavio

cartilha detran servicos digitais final at Página 01