bn luiz octavio mega feirao nov 2019   bn pref crz 24 09 2019   an pao quente 01

31 07 2019 policia taubate esfaqueouO ex-companheiro da vendedora Aline Guimarães, esfaqueada mais de 50 vezes, foi indiciado por tentativa de feminicídio. A Polícia Civil informou que concluiu na segunda-feira (29/07) o inquérito contra o lutador de artes marciais, Cleiton Duda, de 35 anos, preso em flagrante no dia do crime após ter invadido a casa da vítima.

A ação, em Taubaté (SP), foi no dia 21 de julho. A vendedora segue internada.

Antes de ser esfaqueada, ela tinha medida protetiva contra o agressor, com quem namorou por um ano e três meses. De acordo com um boletim de ocorrência de 2018, Duda teria dado socos, chutes e tentado enforcá-la por cerca de duas horas em um episódio anterior de violência.

Por causa disso, após inquérito, ele foi denunciado à justiça por lesão corporal e condenado a três meses de reclusão em julho do ano passado. Ele respondia em liberdade, desde que atendesse por dois anos restrições, entre as quais estavam não deixar a cidade sem autorização e comparecer à Justiça.

O esfaqueamento ocorreu no último dia 21, dentro da casa da vendedora, no bairro Continental. O lutador invadiu a casa e a golpeou pelas costas mais de 50 vezes. Vizinhos escutaram os pedidos de socorro e acionaram a polícia, que teve de negociar a entrada no local para o socorro à vítima.

Aline ficou internada em estado grave e passou cinco dias em coma depois de uma cirurgia para a recuperação de órgãos vitais que foram atingidos. De acordo com familiares, na segunda-feira (30/07), apesar das lesões, ela já se alimenta e respira sem ajuda de aparelhos.

A família da vítima, em depoimento à polícia, contou que mesmo depois da medida protetiva e da separação, o ex perseguia Aline. Um dia antes do crime ela saiu para jantar com uma amiga e comentou que tinha medo. Ao voltar para casa, ela mandou um áudio avisando a amiga que 'deu uma olhada antes de entrar' e que 'não tinha nada'.

Preso desde o dia do crime, o agressor teve a prisão em flagrante convertida para preventiva - por tempo indeterminado. Ele está no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Taubaté. Com a denúncia encaminhada à justiça, deve ser definido se ele vai responder preso ou em liberdade ao curso do processo.

Família

Após o crime, familiares e amigos mobilizaram as redes sociais por orações e doações de sangue para a vítima. Por causa do número de lesões e do tempo de resgate, Aline precisou de várias transfusões de sangue.

Na última sexta-feira (26/07) a vítima deixou o coma. Ela está na Unidade de Tratamento Intensiva (UTI) do Hospital Regional em Taubaté.

Aline é cuidada por uma equipe médica multidisciplinar que conta com psicólogos que vão acompanhar sua recuperação. O tio da vítima, Adilson Figueira, contou que ela não lembra exatamente o que ocorreu no dia do crime.

“Ela não lembra direito o que houve, está recordando algumas coisas do que houve aos poucos. O que nós queremos é só que ela fique bem e esteja, finalmente, segura. É um milagre ela estar com a gente e vamos lutar por justiça”, disse.

Outro lado

Uma familiar de Cleiton Duda foi procurada, mas não indicou o advogado que atua na defesa do agressor.  


an byomed