bn luiz octavio mega feirao nov 2019   bn pref crz 24 09 2019   an pao quente 01

policia giroflex 02Um pintor de 46 anos, com a prisão preventiva decretada desde abril por suspeita de ter matado a ex-mulher, foi preso pela polícia na terça-feira (30/07) em Caraguatatuba (SP). O crime foi no dia 10 de fevereiro de 2017.

O suspeito foi encontrado pelos policiais, durante patrulhamento de rotina, pela rua Antônio Henrique de Mesquita, no bairro Capricórnio, por volta das 15h. Ele será levado para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Caraguá.

Além da prisão preventiva, os PMs informaram que receberam denúncia que o homem também estaria ameaçando a ex-sogra.

Na época do homicídio, a vítima Stefânia Toroni, de 33 anos, teve a morte registrada como suspeita. O corpo dela, com ferimentos, foi achado estendido no chão da casa onde morava, sem roupas. Na ocasião, não foi possível no momento atestar a causa da morte.

Durante a investigação, segundo a Polícia Civil, foi concluído que ela morreu a pauladas e o ex-marido foi indiciado, com base no depoimento de testemunhas. O motivo do assassinato não foi esclarecido.

Preventiva

Para a Justiça, a prisão preventiva é necessária porque, há indícios do crime que recaem sobre o denunciado.

"Como se observa, há relatos de extrema violência e da reiteração criminosa, que devem ser coibidas pelo poder judiciário. Nesse sentido, entende o legislador que, desde que a permanência do acusado em liberdade possa dar motivo a novos crimes ou cause repercussão danosa no meio social, cabe ao juiz manter ou decretar a custódia cautelar como garantia da ordem pública, constituindo em verdadeira medida de segurança, para evitar que, sob o manto da impunidade retorne à prática de crime", considerou o juiz Júlio Bianchini.

O homem preso já tinha antecedentes criminais por furto.


an byomed