coronavirus 12A OMS (Organização Mundial de Saúde) pediu nesta segunda-feira mais empenho dos governos para conter o avanço do novo coronavírus pelo mundo. Em entrevista coletiva, o diretor-geral da entidade, Tedros Adhanom Ghebreyesus, afirmou que é preciso ampliar o número de testes e o isolamento para prevenir novas infecções.

Ghebreyesus disse também que, apesar de o maior risco estar no grupo acima de 60 anos de idade, jovens, incluindo crianças, já morreram por causa da doença.

Em sua fala, Ghebreyesus defendeu a necessidade de as pessoas saberem qual pessoa lhe transmitiu o vírus e de manter as estratégias de contenção do risco. "Você não consegue parar essa pandemia se não souber quem está infectado. Esta é uma doença séria. Embora as evidências sugiram que aqueles com mais de 60 anos corram maior risco, jovens, incluindo crianças, morreram", disse.

"Temos uma mensagem simples para todos os países: testem, testem, testem. Testem todo caso suspeito de covid-19. Se o teste der positivo, isole [a pessoa] e descubra quem esteve em contato com ela em até dois dias antes dos primeiros sintomas e os testem também", declarou.

Conforme o coronavírus avança em países subdesenvolvidos, a OMS disse estar preocupada com o impacto que ele pode ter em populações com HIV e em crianças com desnutrição. "Estamos chamando todos os países e indivíduos para fazerem tudo o que puderem para pararmos a transmissão", afirmou o diretor-geral da OMS.

"Sabemos que as crianças podem ser infectadas e que elas podem morrer por essa doença. Não podemos dizer universalmente que é (uma doença) leve em crianças", acrescentou Maria van Kerkhove, diretora da área de Doenças e Zoonoses Emergentes da OMS.

Ghebreyesus cobrou que os governos ampliem a disponibilização de testes para a população como medida preventiva. "Temos visto uma rápida escalda em medidas de distanciamento social, como fechamento de escolas, cancelamento de eventos esportivos e outras aglomerações, mas não temos visto uma urgência suficiente na escalada de testes, isolamento e contato de origem, que é a espinha da resposta à covid-19".


an paulo bento

an luiz octavio