27 05 2020 regiao taubate associacao comercial taubateUma pesquisa realizada pela Acit (Associação Comercial e Industrial de Taubaté) apontou que 65% das empresas associadas da entidade dispensaram pelo menos um funcionário ou cancelaram os contratos de trabalho terceirizados durante a pandemia do novo coronavírus.

“Alguns estabelecimentos chegaram a demitir entre cinco e seis pessoas nos últimos dias. A verba rescisória foi uma das questões que chamou atenção, pois 20% das empresas tiveram que negociar esse pagamento por falta de fluxo de caixa para assumir esse compromisso imediato”, informou a associação, em nota.

Como medida para tentar manter empregos, 80% das empresas deram férias coletivas, 40% suspenderam temporariamente ou reduziram os contratos de trabalho, 30% adotaram o home office e apenas 7% colocaram os funcionários em isolamento social sem alterar as condições de trabalho.

Cenário

A pesquisa também mostrou um cenário que a Acit classificou como “alarmante”: 24,6% das empresas apontaram que devem encerrar suas atividades em até 30 dias se perdurar este cenário, e outras 17,8% afirmaram que conseguiriam aguentar, no máximo, por mais 60 dias.

Apenas 12% das empresas pesquisadas afirmaram que conseguiriam manter seus negócios por prazo indeterminado nesse cenário de quarentena.

O levantamento apontou ainda que 90% das empresas tiveram queda substancial em seu faturamento e, dessas, 56,5% confirmaram uma queda superior a 60% nas receitas.

Sobre a procura de apoio em instituições financeiras, 60% buscaram esse auxílio para honrar seus compromissos, principalmente no que se refere à folha de pagamento e fluxo de caixa. Porém, desse percentual, 65,5% tiveram seus pedidos de créditos negados.

Com este cenário, 63,5% dos empresários optaram por adiar os pagamentos de impostos, 45% negociaram ou não pagaram aluguéis, fornecedores e bancos, e somente 20% conseguiram manter o pagamento de seus compromissos e obrigações em dia.

Numa comparação de vendas entre abril de 2019 e abril de 2020, a pesquisa apontou uma queda de 75%. E a inadimplência nesse período de pandemia teve 60% de aumento.


an paulo bento

an luiz octavio