bn camara 05 2020

20 05 2020 regiao guara estudos hdroxocloroqunaApós prometer divulgar na segunda-feira (18/05) os estudos que foram usados como base para determinar protocolo de aplicação da hidroxocloroquina em pacientes no estágio inicial da Covid-19, a Prefeitura de Guaratinguetá adiou a apresentação dos dados oficiais e disse que irá mostrar as análises com o início da utilização do polêmico medicamento.

Na terça-feira (19/05), o governo Marcus Soliva (PSB) informou que ainda aguarda a chegada do remédio e que, por enquanto, os médicos estão passando por treinamento. O anúncio do uso da cloroquina foi feito na sexta-feira passada, e o governo afirmou que divulgaria na segunda (18/05) os estudos usados para determinar o protocolo -- o medicamento é alvo de polêmica por ainda não ter eficácia comprovada em pacientes infectados com coronavírus pelos principais órgãos de saúde.

A prefeitura, no entanto, não chegou a fazer nenhuma nova publicação ou divulgação sobre o tema. Questionado nesta terça-feira pela reportagem, o governo afirmou que "com o início do novo protocolo vai apresentar mais análises e estudos."

A decisão dividiu opiniões de moradores nas redes sociais do prefeito, que, em entrevista na semana passada, destacou que foram analisados estudos de institutos como o HCor (Hospital do Coração), o Hospital Albert Einstein e a USP (Universidade de São Paulo) -- nenhum deles, no entanto ainda foi divulgado pelo governo, que não determinou prazo para início do uso da cloroquina na cidade.

Soliva chegou a ser parabenizado nas redes sociais pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, defensor do uso do medicamento. Eduardo usou para compartilhar aos seguidores a notícia sobre o uso do medicamento em Guaratinguetá.


an pref 07 05 2020

impacto 94 completo Página 8

an luiz octavio