bn camara 05 2020

25 03 2020 regiao quarentena muda rotinaCampeonato de pular corda no quintal. Corrida de corredor e sala. Maratona de desenhos animados. Jogo de 'Stop' pela internet. Levantamento de mochilas.

Obrigadas a ficar em casa pelo coronavírus, pandemia que mudou a rotina por completo na região, famílias do Vale do Paraíba buscam formas criativas de entreter os filhos e passar pelo confinamento de forma saudável.

Também tentam adaptar hábitos antes normais, como ir à academia de ginástica ou correr na rua, com o necessário confinamento.

Trabalhando no setor de turismo corporativo, Érica Castro, 36 anos, seu marido e os dois filhos pequenos (3 e 10 anos) estão isolados em casa por causa da pandemia. Ela está em home office e ele em recesso, e depois férias. As crianças estão sem aulas.

"Usamos a TV, jogos, massinha e brinquedos. Fazemos competição no quintal de pular corda. Acho que o exercício vai ser importante para as crianças", disse ela.

Érica também não deixou de fazer a academia, que "mudou" para sua casa.

"Eles estão mandando por link para a gente se manter ativo em casa, e adaptamos os exercícios para a casa, usando cadeiras. O peso é a mochila e algumas outras adaptações", contou a turismóloga.

O advogado Alexandre Pereira, 41 anos, divide o apartamento de 55 m² com a mulher e dois filhos pequenos. "É quase prisão domiciliar", brincou. "O que mais incomoda é a restrição física. As crianças ficam correndo no corredor e na sala. A gente vai se virando com brincadeiras, TV e a internet, para ver os avós".

A artesã Elizandra Oliveira, 40 anos, criou uma rotina severa para evitar o coronavírus. Ela, o marido e dois filhos (15 e 5 anos) quase não saem de casa. "Saímos o mínimo possível. Sai um só com todos os cuidados, como álcool gel e luva. Temos kit de emergência dentro do carro. Na volta, banho e roupa lavada".

Elizandra tem um filho de 21 anos que mora e estuda em São Paulo, agora também em confinamento.


an pref 07 05 2020

impacto 94 completo Página 8

an luiz octavio