15 01 2020 regiao numero mortesO número de mortes no Vale do Paraíba aumentou 2,66% entre 2017 e 2018, segundo pesquisa da Fundação Seade, o dobro da taxa estadual no mesmo período, de 1,27%. Morreram 16.148 pessoas na região em 2018 contra 15.729, em 2017, enquanto que no estado o número de óbitos foi de 297,8 mil e 294,1 mil, respectivamente.

O percentual de aumento dos óbitos também foi o triplo do índice de aumento da população, o que revela um maior envelhecimento entre os moradores do Vale.

Entre 2017 e 2018, a população do Vale cresceu 0,88%, de 2,42 milhões para 2,44 milhões de pessoas.

A análise das mortes de 2018 mostra que 70,44% delas foram de pessoas acima de 60 anos, com 11.374 óbitos.

A morte de jovens, entre 15 e 34 anos, alcançou 5,25% do total, com 847. Óbitos de menores de 1 ano foram 324 (2%) e de mulheres entre 15 e 49 anos, 684 (4,24%).

De acordo com o Seade, metade das mortes corresponde a pessoas com mais de 70 anos, seguindo tendência de concentração em idades cada vez mais elevadas.

"A comparação com 1950 mostra que nessa época tal fração era alcançada aos 15 anos de idade", disse o órgão.

Ainda segundo a pesquisa, quatro grupos lideram as causas de morte no estado: doenças do aparelho circulatório (29%), neoplasias (18%), doenças do aparelho respiratório (14%) e causas externas (7%). Juntas, as quatro categorias respondem por 68% de todas as mortes.

"A comparação mostra forte redução nas mortes por causas externas, principalmente ao decréscimo da mortalidade por agressões e acidentes de trânsito. Também observou-se melhora na tendência das doenças do aparelho circulatório".

Idade média da população vai subir de 35 para 44 anos em 2050

Segundo a pesquisa da Fundação Seade, a tendência é de crescimento e maior concentração populacional em idades cada vez mais avançadas, elevando a idade média da população de 35,7 anos em 2018, para 44,1 anos em 2050, no estado de São Paulo.

No mesmo período, a proporção de óbitos de pessoas com 60 anos e mais avançará de 72% para 89%, e a de pessoas com 85 anos e mais passará de 20% para 32%.

Por outro lado, a proporção de óbitos de crianças menores de um ano cairá de 2%, em 2018, para 0,5% até 2050, ainda segundo a pesquisa.


an paulo bento

an luiz octavio