16 09 2019 regiao taubate novos cargosO prefeito de Taubaté, Ortiz Junior (PSDB), enviou dois projetos para a Câmara que, juntos, preveem a criação de 33 novos cargos na administração municipal. Desses cargos, 31 são de carreira, que só podem ser preenchidos via concurso público, e outros dois são comissionados, de livre nomeação.

Protocolados na semana passada, os projetos foram lidos na sessão ordinária dessa terça-feira e começarão a tramitar. Antes de serem votados, eles passarão por análise das comissões permanentes. Caso as duas propostas sejam aprovadas, os novos cargos representarão um gasto extra de pelo menos R$ 1 milhão ao ano.

Os dois novos cargos comissionados serão o de diretor adjunto de Recursos Humanos, com salário de R$ 7.620,57, e o de gestor da área de Gestão Operacional, com vencimento de R$ 5.485,43.

Inicialmente, a criação desses cargos estava prevista no texto original do plano de carreira dos servidores da prefeitura, mas o jurídico da Câmara apontou que a medida era um 'jabuti' - como são chamados, no jargão político, itens estranhos ao projeto, que pegam carona no texto.

Esse trecho acabou retirado do projeto do plano de carreira por meio de emenda, após ficar acertado que a criação dos cargos seria tratada em uma proposta à parte, o que ocorreu agora. "Tal medida tornou-se necessária tendo em vista a incompatibilidade de vício formal no projeto em questão", explicou Ortiz no novo texto. O prefeito alegou ainda que os dois novos cargos "são essenciais para implantação e operação do referido plano dentro da estrutura da Secretaria de Administração e Finanças".

O outro projeto cria 31 cargos de cuidador, que passarão a ser 71, e um novo cargo de engenheiro de segurança do trabalho, que passarão a ser dois. O salário inicial do cuidador é R$ 2.153,56 e do engenheiro de segurança do trabalho, R$ 3.367,16. Na proposta, Ortiz alegou que a criação dos cargos de cuidador é necessária devido à implantação do projeto Residência Inclusiva e à ampliação do Centro de Convivência e Fortalecimento de Vínculos Madre Cecília, ambos voltados para pessoas com deficiência. Já no caso do serviço de Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho, o único funcionário existente não seria suficiente para atender a demanda.


an paulo bento

an luiz octavio