23 01 2019 regiao joao pedroCentenas de opiniões, de curtidas e de compartilhamentos nas redes sociais refletem a insatisfação popular em relação ao Conselho Tutelar do Menor em Cruzeiro.  A credibilidade do órgão ficou abalada após o assassinato de João Pedro, de 3 anos, no final de semana. Membros do CTM teriam sido alertados por familiares do menino sobre frequentes agressões a que era submetido pela mãe e o padrasto. De acordo com as opiniões, o conselho teria ignorado s denúncias.

João Pedro morava com a mãe Tais Albano e o padrasto Mauro Aguiar na região da Vila Brasil. Vizinhos e parentes paternos revelam constantes agressões por parte do casal. Na sexta-feira (19), o menino foi morto com golpes de cabo de vassoura desferidos pelo padrasto com a participação da mãe. No dia seguinte, o casal legou o desaparecimento da vítima. No domingo, o corpo foi localizado às margens da Avenida Florindo Antico, no Bairro KM 4. Tais e Mauro confessaram o crime.

 

O caso foi desvendado pelos investigadores Biazze, Abílio, Marcos de Castro, José Antônio e Leandro Dourado, da DIG (Delegacia de Investigações Gerais). Sem demonstrar arrependimento, Tais e Mauro detalharam o crime desde o espancamento até a ocultação do cadáver. Na segunda-feira (21), a mulher foi transferida para a Penitenciária Feminina de Tremembé e o homem para o Presídio de Potim.

O Conselho Tutelar do Menor poderia ter evitado o assassinato de João Pedro? Para os internautas, em opiniões emitidas na rede Facebook, sim.

Numa das postagens, despertou atenção a opinião emitida por Michele Ribeiro Pereira. Na mensagem, ela cita nomes de conselheiros e cobra providências do poder público. Textualmente, diz a postagem.

Michele Ribeiro Pereira para Bazar Cruzeiro (Original)

Não estou aqui generalizando, estou aqui pra dizer diretamente a três pessoas (não humanas), que trabalham no conselho tutelar de Cruzeiro. Senhora Brenda, senhor Eliezer e Senhor Gilson Júnior.

Vocês foram relapso com o caso do João Pedro. Senhora Brenda, você me dá nojo por virar as costas na primeira vez que o pai e a madrasta do menino precisou de você. E aos dois rapazes incapacitados, não tem filhos pra se sensibilizar com o pai??? Vocês são uma vergonha, ainda mais vendo, em outras cidades o trabalho correto e digno do conselho tutelar. Estão aí pra que?? Pra ter dinheiro no fim do mês? Ou o trabalho de vocês é simplesmente ir fazer média nas escolas, dizendo que qualquer coisa é só entrar em contato com vocês ,24 horas que irão averiguar??? Mentira!!! Indiretamente vocês três mataram tbm essa criança, e queira Deus que nunca vocês venham mandar bilhetinho idiota dizendo que nós mães seremos chamadas caso nossos filhos faltem muito na escola, daí sim, vocês verão o que é revolta de uma verdadeira mãe. Nojo desse conselho que não serviu pra nada. Prefeito Thalles Gabriel, é hora de ir atrás disso e tirar esses três do cargo. Cruzeiro pede socorro.”

Até a publicação desta notícia o Conselho Tutelar do Menor não havia se manifestado sobre o caso João Pedro.

O CONSELHO – Com base em lei federal, os membros são eleitos por voto popular. Apesar de não ter interferência nas ações, a Prefeitura é obrigada a bancar todos os custos, incluindo aluguel de prédio ou cessão, veículo, Internet e telefone, além dos salários dos membros.


an paulo bento

an luiz octavio