02 04 2019 regiao ortiz canudosO prefeito Ortiz Junior (PSDB) vetou o projeto que visa proibir a utilização de canudos de plástico em Taubaté.

Na mensagem enviada à Câmara, o governo tucano sustenta que o texto é inconstitucional, pois a competência para legislar sobre o tema seria da União.

"O Poder Legislativo municipal [Câmara], bem como o próprio Executivo [prefeitura] não possuem competência para a promulgação de leis que digam respeito à proteção do meio ambiente, bem como questões relativas ao consumo".

A mensagem do veto compara essa proposta às leis que tentaram barrar as sacolas plásticas paós afora, mas que acabaram sendo consideradas ilegais posteriormente. "Em não podendo o município legislar acerca da proibição do uso de sacolas plásticas em seu território, por, conforme jurisprudência sacramentada, não possuir competência para tanto, poderia o mesmo instituir a proibição quanto à utilização de canudos plásticos? A resposta é simples e deveras óbvia: não", diz trecho do parecer jurídico que embasou a decisão de Ortiz.

O veto será analisado pelo plenário, que poderá mantê-lo ou derrubá-lo. Se o veto for derrubado, a Câmara promulgará a lei. Se for mantido, o texto é arquivado.

O autor do projeto, vereador Douglas Carbonne (PCdoB), não foi localizado para comentar o caso nessa segunda-feira.

Proposta

O projeto prevê punições para os donos de estabelecimentos, como restaurantes, bares e hotéis, que usarem canudos plásticos. As sanções vão desde a advertência por escrito, passando por multas de até R$ 937,35, e por fim a cassação da licença de funcionamento do local. Caso a norma entre em vigor, o prazo para adaptação será de 180 dias. Na primeira votação, o projeto recebeu 10 votos a favor e seis contra.


an paulo bento

an luiz octavio