25 03 2019 regiao rachadurasRachaduras em paredes de lojas e de residências no centro de São Lourenço exigem novos estudos de geologia para apontar as causas. As pequenas fissuras registradas nos últimos 22 anos aumentaram nos últimos seis meses. Os imóveis estão no mesmo quarteirão. Além da dilatação das rachaduras, moradores também comentam sobre pequenos abalos na região.

Segundo a Defesa Civil, um relatório sobre essa situação aponta que pelo menos sete casas estão comprometidas, com risco de desabamento devido as rachaduras. Há duas semanas, os moradores de uma casa tiveram que deixar o local interditado pela Defesa Civil.

O órgão também encaminhou o relatório ao Ministério Público e recomendou à Prefeitura a proibição do fluxo de veículos pesados nas ruas no entorno do quarteirão.

Por enquanto, não existe um parecer técnico que aponte a causa desses problemas, mas o tipo de solo, e ainda um prédio que está inclinado, podem ajudar a explicar os problemas dali.

“Inicialmente a gente não tem o que aconteceu. A Prefeitura de São Lourenço, através de orientação da Defesa Civil, ela vai fazer o estudo, vai contratar uma equipe de geólogos, o SAAE vai fazer um estudo no córrego que passa aqui do lado, para que a gente possa ter uma noção do que está acontecendo, para que a gente possa tomar as primeiras providências”, disse o coordenador da Defesa Civil, Eduardo Souza.


an paulo bento

an luiz octavio