30 07 2020 regiao tremembe interdicao presidioA Defensoria Pública entrou com um pedido de providências para que o Centro de Progressão Penitenciária, o Pemano, de Tremembé seja interditado parcialmente. O pedido é para que a unidade não receba mais presos pelo risco de aumentar a incidência de casos de coronavírus na unidade.

No texto, a Defensoria alega que já foram confirmados dois casos de Covid-19 entre servidores do Pemano, além de seis sentenciados que estão isolados com sintomas da doença. Atualmente, de acordo com dados do site da Secretaria de Administração Penitenciária, o Pemano conta com 2.764 presos. A capacidade é de 2.672.

"A unidade prisional tem recebido sentenciados de várias localidades do estado, sem qualquer critério, o que pode levar a uma tragédia humana", escreve no texto o defensor Saulo Dutra de Oliveira.

O defensor também lembra que em 2017 o Pemano foi interditado devido a uma infestação de percevejos. Na época, o presídio estava com mais de 1.000 presos acima de sua capacidade.

O documento também pede que seja realizados testes em um "número considerável" de presos para se ter uma real noção do número de infectados dentro do Pemano.

Em nota, a SAP informou que desde o início da pandemia, adotou uma série de providências, incluindo uma quarentena para os presos que entram no sistema prisional. Também informou que segue as determinações do Centro de Contingência do coronavírus e avalia permanentemente o direcionamento de ações para o enfrentamento do problema.

A pasta acrescenta ainda que foram adotadas medidas de higiene e distanciamento, não há mais atividades coletivas, a entrada de visitantes foi suspensa em todos os presídios do estado, além da intensificação das medidas de higiene.


an paulo bento

an luiz octavio