an luiz octavio        an pref crz jan 2020

 

26 03 2020 brasil banco central zeraO Banco Central zerou, nesta quinta-feira (26/03), a expectativa de crescimento do da economia para 2020.

Em dezembro, a expectativa era de alta de 2,2% do PIB (Produto Interno Bruto).

"A economia mundial, incluindo a brasileira, passa por momento de elevado grau de incerteza em decorrência da pandemia de coronavírus, que está provocando desaceleração significativa da atividade econômica, queda nos preços das commodities e aumento da volatilidade nos preços de ativos financeiros", informou o BC no Relatório de Inflação.

Nas contas do BC, a indústria amargará uma retração de 0,5% em 2020. A estimativa apresentada em dezembro apontava para um crescimento de 2,9%. Para o setor de serviços, o maior da economia brasileira, a equipe do presidente Roberto Campos Neto zerou a expectativa de crescimento. A anterior era de alta de 1,7%.

A projeção para os investimentos em 2020, registrados por meio da formação bruta de capital fixo, passou de alta de 4,1% para queda de 1,1%. As estimativas para a inflação também foram atualizadas. Para 2020, o BC reduziu a estimativa do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) de 3,5% para 3% e para 2021 de 3,4% para 3,6%.

Na avaliação do BC, o mercado de crédito também será afetado e o ritmo de crescimento diminuirá quase a metade pelo coronavírus. "A evolução recente do mercado de crédito e os impactos da pandemia de coronavírus sobre o mercado financeiro e o crescimento da economia, ainda que bastante incertos, ensejaram revisão da expansão do saldo de crédito em 2020, de 8,1% no Relatório de Inflação anterior para 4,8%", informou o BC.


an pao quente 01

an byomed