01 11 2019 brasil adelioO advogado Marcos Mejìa, que faz parte da equipe de defesa de Adélio Bispo de Oliveira, que feriu Bolsonaro com um golpe de faca, diz que é falsa a informação de que teria recebido a promessa de ganhar R$ 500 mil para cometer o atentado.

De acordo com o Portal R7, Mejìa contou que o iraniano Farhad Marvizi disse a Adélio que faria de tudo para diminuir a pena e teria condição de subornar qualquer juiz. "Ele colou no cara que ganhou fama processual pela tentativa de homicídio do presidente, tentando levar alguma vantagem, mas é um falastrão", afirmou o advogado.

A informação de que Adélio teria dito a Marvizi que recebeu a promessa de R$ 500 mil para matar Bolsonaro foi divulgada na sexta-feira (1º de novembro) pela revista Crusoé. Segundo o veículo, o iraniano teria afirmado à Polícia Federal ainda que o servente de pedreiro faz parte de uma facção e revelou a ele o nome do mandante do atentado.

O presidente Bolsonaro anunciou no início deste mês que recebeu uma carta de um vizinho de cela de Adélio com informações sobre a facada. Marvizi seria o autor do texto e por isso foi ouvido por aproximadamente uma hora pelo delegado da Polícia Federal, Rodrigo Morais. Nessa conversa, o preso teria dito que só falaria tudo o que sabe se ganhasse o perdão presidencial. "Sequer me preocupei em acompanhar esse depoimento", conta Mejìa.

Adélio ficou em contato com Farhad Marvizi, apenas no período em que dividiram a ala de saúde da Penitenciária Federal de Campo Grande (MS). Segundo Mejìa, o iraniano tem mais de 120 anos de pena para cumprir e em seu histórico teria a prática de enganar as pessoas.

As informações são do Portal R7.


an paulo bento

an luiz octavio