12 09 2019 brasil brumadinhoApós seis meses de investigação, a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) de Brumadinho, criada na Assembleia Legislativa de Minas Gerais para apurar as causas do rompimento da barragem da Vale em janeiro deste ano, encerra suas atividades com a votação do relatório final.

Na manhã desta quinta-feira (12/09), o relator do colegiado, deputado André Quintão (PT), faz a leitura das 300 páginas do relatório, que deverá pedir ao Ministério Público, o indiciamento dos responsáveis. A tragédia resultou na morte de 270 pessoas. Até o momento, 249 corpos foram identificados e 21 pessoas seguem desaparecidas.

Além do indiciamento, o relatório também faz recomendações aos órgãos públicos para que novos desastres com barragens sejam evitados no Estado. 

A CPI também promete acompanhar, por meio de uma instância dentro da própria Assembleia, o cumprimento das diversas recomendações contidas no texto. Segundo o relator, o objetivo é contribuir para que as famílias das vítimas e os municípios afetados tenham a devida reparação dos danos da tragédia.

Ao longo dos últimos seis meses, a comissão fez 31 reuniões, realizou duas visitas técnicas, colheu 120 depoimentos e aprovou 220 requerimentos.

Depois de aprovado, o relatório é encaminhado à Mesa da Assembleia e aos órgãos e autoridades às quais forem feitas recomendações. 

Com informações do portal R7