27 12 2018 gerson camata 03O autor dos disparos que mataram nesta quarta-feira, 26, o ex-senador e ex-governador do Espírito Santo Gerson Camata (MDB) seria um ex-assessor do emedebista. O crime aconteceu na rua Joaquim Lyrio, na Praia do Canto e a motivação teria sido uma ação judicial movida por Camata contra seu ex-funcionário.

 

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Estado, Nylton Rodrigues, o ex-assessor Marcos Venicio Moreira Andrade, 66, que trabalhou durante 20 anos com Camata, confessou o crime. Ele foi preso e presta esclarecimentos no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), órgão da Polícia Civil.

"O autor do homicídio está preso. Já confessou o crime", disse Rodrigues. "A arma utilizada foi apreendida e a motivação do crime lamentável é uma ação judicial movida pelo nosso ex-governador em desfavor de um ex-assessor seu. Esse ex-assessor trabalhou com Camata por 20 anos e teve R$ 60 mil bloqueados em sua conta. (Nesta quarta), na Praia do Canto, o autor do crime foi tirar satisfação ao encontrar Camata na rua. Neste encontro, iniciou-se uma discussão verbal, quando Marcos sacou uma arma e efetuou os disparos."

A arma usada no crime de assassinato do ex-governador Gerson Camata, ocorrido na tarde desta quarta-feira (26), na Praia do Canto, em Vitória, uma pistola 380, estava com registro vencido. A informação foi confirmada pelo delegado Danilo Bahiense. A arma foi apreendida.

Segundo o delegado, a polícia acredita que o suspeito de cometer o crime, Marcos Venício Moreira Andrade, de 66 anos, já estava com a intensão de matar o ex-governador. "Provavelmente, ele já tinha a intensão, pois ele mora muito próximo. É um local que Gerson Camata também transitava. O cidadão sai de casa com uma arma com registro vencido, sem porte de arma e sair armado para aquele local. Ele disse que estava no comércio quando o Gerson Camata passou, mas presume-se que ele já estava a espreita", afirma Bahiense.

Radialista e economista formado pela Universidade Federal do Espírito Santo, Gerson Camata foi senador de 1987 a 2011. Governou o Espírito Santo entre 1983 e 1986. Antes disso, foi deputado federal, estadual e vereador em Vitória.

MDB

O partido do ex-governador, o MDB, emitiu uma nota de solidariedade pela morte de Camata. "O MDB se solidariza com todos os capixabas, familiares e amigos pela perda de forma trágica e violenta do ex-governador Gerson Camata, um dos mais importantes quadros do partido e do processo de redemocratização do País. Camata teve sua trajetória marcada pelo compromisso com seu Estado, tendo sido um dos senadores mais atuantes ao longo de mais de 20 anos de mandato."


impacto 94 completo Página 8

an luiz octavio