Diversos especialistas acreditam que o senso crítico é fundamental para combater as "fake news". Para a diretora da Agência Lupa, Cristina Tardáguila, o conhecimento sobre como é produzido um noticiário facilita na identificação de informações mentirosas. Esta afirmação sobre a importância de se conhecer a produção de um noticiário nos remete a uma reflexão quanto a urgência da "alfabetização digital", que seguramente ajudará no reconhecimento de falsas notícias. Lembramos aqui, por exemplo, que uma das formas de se perceber uma “fake news” está na observação atenta da redação dos textos apresentados, uma vez que estes contêm muitos erros de língua – grafia das palavras, erros de concordância...
No entanto, mesmo considerando os possíveis avanços no combate às “fake news”, continuará havendo produtores de conteúdos falsos e cidadãos que acreditam ser verdade estes conteúdos. Assim, seria muito positivo que o Ministério da Educação promovesse cursos rápidos e gratuitos e, também, materiais orientadores, elaborados numa linguagem acessível para toda população, ensinando como identificar as chamadas "fake news".
Por fim, para minimizar os prejuízos das “fake news” a curto prazo, poderiam ser produzidas peças publicitárias que alertassem a população sobre os perigos dessas notícias falsas. Essa ação seria potencializada nas redes de rádio e televisão e nas próprias redes sociais e traria uma grande contribuição para o equilíbrio de toda a sociedade.
*Eduardo Ferreira de Castro é Especialista em Educação, com pós-graduação em Gestão Educacional.

an paulo bento

an luiz octavio